terça-feira, 30 de dezembro de 2014

ESCALA DOS MINISTÉRIOS DE MÚSICA PARA ANO 2015 PARA MISSAS E CELEBRAÇÃO DA PALAVRA


ROTEIRO HOMILÉTICO SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS, MARIA – ANO B – BRANCO – 01.01.2015

OITAVA DO NATAL – QUINTA-FEIRA


ROTEIRO HOMILÉTICO SOLENIDADE DA SANTA MÃE DE DEUS, MARIA – ANO B – BRANCO – 01.01.2015

OITAVA DO NATAL – QUINTA-FEIRA

Natal1504: Maria, Mãe de Deus

Neste dia, a liturgia coloca-nos diante de evocações diversas.
Celebra-se a Solenidade de Santa Maria, MÃE DE DEUS:
somos convidados a contemplar a figura de Maria,
aquela mulher que, com o seu "sim" ao projeto de Deus,
nos ofereceu Jesus, o nosso libertador.
Celebra-se também o DIA MUNDIAL DA PAZ: em 1968,
o Papa Paulo VI propôs que, neste dia, se rezasse pela paz no mundo.
Celebra-se ainda o primeiro dia do ano civil: é o início de uma caminhada
percorrida de mãos dadas com esse Deus que nos ama e
que todo o dia nos oferece a sua bênção e a vida em plenitude.

As leituras nos propõem esses temas:

A 1ª Leitura, sublinha a presença contínua de Deus em nossa caminhada
e recorda que a sua bênção nos proporciona a vida em plenitude. (Nm 6,22-27)

Era uma fórmula de Bênção usada no Templo de Jerusalém
para abençoar a comunidade, no final das celebrações litúrgicas,
antes de o Povo regressar a suas casas:
"O Senhor te abençoe e te guarde!
O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face, e se compadeça de ti!
O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a Paz".
* A Bênção de Deus sempre é uma garantia de sua presença e uma fonte de paz.
   Fortalecidos pela nova luz que provêm da fé, queremos iniciar o novo Ano.

A 2ª Leitura evoca outra vez o amor de Deus,
que enviou o seu Filho ao encontro dos homens
para os libertar da escravidão da Lei e para os tornar seus "filhos".
É nessa situação privilegiada de "filhos" livres e amados
que podemos dirigir-nos a Deus e chamar-lhe 'abbá" ("papai").
Cristo se "humaniza" para divinizar o homem. (Gl 4,4-7)

O Evangelho apresenta Maria, recebendo feliz a visita dos PASTORES...
e meditando em seu coração tudo o que falavam do Messias.
(Lc 2,16-21)

O texto não é uma reportagem do nascimento de Jesus;
mas uma catequese sobre quem é esse menino e qual a sua missão:
Jesus é o Messias libertador, enviado a trazer a paz.

- Quem são os Destinatários do anúncio?
Os Pastores, classe marginalizada, considerada impura, pecadora e
muito longe de Deus e da Salvação.

* A proposta de Jesus se destina de modo especial àqueles
que a teologia oficial excluía e condenava.
Deus os ama, conta com eles e os convoca para fazer parte da sua família..
- Como reagem?  
Depois de escutarem a "boa nova" do nascimento do libertador,
dirigem-se "apressadamente" ao encontro do menino.
Sublinha a ânsia com que os pobres e os marginalizados esperam
a ação libertadora de Deus e apressam-se para ir ao seu encontro.
A disponibilidade de coração é a primeira coisa que Deus pede.
- Glorificam e louvam a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido:
é a alegria pela libertação que se converte em ação de graças.
Depois, vão correndo anunciar aos outros a sua grande alegria e
todos os que os escutam também ficam admirados...

- A Atitude de Maria:
Ela "conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração".
É a atitude de quem é capaz de abismar-se com a ação do Deus libertador,
com o amor que Ele manifesta nos seus gestos em favor dos homens.
A Maternidade de Maria não termina em Belém,
prolonga-se até a Cruz e a toda a Igreja.
- A atitude meditativa de Maria, que interioriza e aprofunda os acontecimentos, complementa a atitude "missionária" dos pastores,
que proclamam a ação salvadora de Deus, manifestada no nascimento de Jesus.
Estas duas atitudes são essenciais na existência de quem crê.

+  Hoje também é o 48º DIA MUNDIAL DA PAZ
dedicado ao tema: "Não mais escravos, mas irmãos".
Durante as festas de Natal, ouvimos com frequência a palavra "Paz".
Maria é apresentada como aquela que gerou o "Principe da Paz".
A Igreja quer nos lembrar desde o primeiro dia do ano,
que a paz anunciada pelos anjos em Belém, é possível...
O Papa, na Mensagem para o dia de hoje, aborda uma questão urgente:
"A luta contra a escravidão no mundo contemporâneo."
A escravidão não é algo do passado, mas um flagelo social muito presente.                "A escravidão tem muitos rostos abomináveis: o tráfico de seres humanos, o tráfico    de imigrantes e a prostituição, a escravidão no trabalho, a exploração do homem pelo homem... Os indivíduos e os grupos especulam sobre esta escravidão, beneficiando-se dos conflitos no mundo, do contexto de crise econômica e da corrupção"...
+  Mais um ano... que começa...
Desejo que o novo ano seja para todos vocês, cheio de Paz e Prosperidade,
com todas as bênçãos de Deus... Aproveitemos essa celebração para agradecer
a DEUS pelo dom da Vida, pela sua Graça, pela sua Força...
às PESSOAS, que nos ajudaram em nossa caminhada.
Peçamos Perdão pelas vezes que falhamos e façamos uma Prece,
para que Deus nos acompanhe sempre nesse ano que estamos iniciando.


                                           Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 01.01.2015

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Terço dos Homens “Grupo Fé e Oração” Pe. JOSÉ VIDAL DE AMORIM

ROTEIRO HOMILÉTICO 4. º DOMINGO DO Advento - ANO B - ROXO - 2014/12/21


FONTE: http://www.buscandonovasaguas.com/

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 4.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – ROXO – 21.12.2014



Advento 1404: O Sim de Maria

Nesse advento, a Liturgia apresentou vários personagens
que prepararam os homens para a 1a vinda de Cristo. 
MARIA vai ser hoje a grande companheira na caminhada.
Ela é modelo de fé e de esperança
aos que aguardam a manifestação da Salvação.

Jesus veio ao mundo para torná-lo a sua nova casa, 
habitando em cada ser humano que o acolhe como Maria
ao dar o seu SIM ao anjo e se tornar o primeiro templo vivo do Salvador...

As Leituras bíblicas nos falam dessa realidade...

Na 1ª Leitura, Davi prepara uma MORADA para Deus. (2Sm 7,1-5.8b-12.14ª.16)

Davi, já idoso, mostra-se insatisfeito em morar numa casa luxuosa e
a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus no meio do Povo,
estar numa simples tenda, debaixo de uma lona...
Por isso, deseja construir um templo. O Profeta Natã lhe diz:
    "Vai e faz tudo o que tens no coração, porque o Senhor está contigo..."

Deus lhe PROMETE uma casa, uma dinastia perene...
Essa promessa se realiza plenamente em Jesus.

A 2ª Leitura é um Hino de louvor a Deus, pelo plano de salvação
por Ele preparado e que se manifestou em Jesus a todos os povos. (Rm 16,25-27)

O Evangelho mostra a realização da promessa de Deus:
MARIA, com o seu SIM, torna-se a MORADA de Jesus,
preparada pelo próprio Deus. (Lc 1,26-38)

- Israel esperava o Messias: um grande rei, forte, rico e poderoso...
  Por isso olhava para Belém, a cidade natal de Davi.
- Mas o olhar de Deus não se voltou para as cidades famosas da Judéia,
  mas para um povoado pobre e insignificante da Galiléia (Nazaré)...
  com um DIÁLOGO entre Maria e o Anjo:

+ A Saudação do Anjo: "Alegra-te, ó amada de Deus, o Senhor está contigo."

   A alegria de Maria não nasce por se tornar a futura mãe de Jesus,
   mas sobretudo porque o "Senhor está com ela...", antes mesmo de conceber...

* O Senhor está conosco?
   O que podemos fazer, para que ele esteja conosco?
   A alegria de Natal só pode ser plena, se o Senhor estiver conosco?

+ A Proposta de Deus: "Conceberás um Filho..".
   Deus a convida para ser a Mãe do Messias, que Israel tanto esperava.
   Diante da dificuldade apresentada, de ainda não viver com um homem,
   o Anjo lhe garante: "O Espírito Santo descerá sobre ti...
                                    e conceberás e darás à luz um Filho..."
   E como garantia, o Anjo lhe afirma que até sua prima Isabel
   conceberá um filho na velhice... "porque nada é impossível para Deus..."

+ A Resposta de Maria: Diante disso, Maria dá o seu SIM:
   "Eis aqui a "Serva" do Senhor,
   'FAÇA-SE' (Fiat) em mim segundo a tua palavra."

 * O "Faça-se" de Deus criou do nada todas as coisas...
    O "Faça-se" de Maria tornou possível a Redenção...

    O "Faça-se" de Maria foi a sua resposta livre e corajosa ao convite de Deus,
    que esperava a colaboração dela para realizar o projeto de amor e salvação.

    Maria torna-se a "arca da Aliança" da Nova Aliança,
    pois ela carregou no seu próprio seio a Palavra encarnada do Pai.
    Se Maria é a arca, Jesus é o "Templo" no qual Deus habita e é encontrado.     
    Nesse templo não há o véu que esconde o rosto de Deus,
    pois ele é a imagem do Deus invisível.
    Um templo muito mais precioso que o templo desejado por Davi:

A História de Maria o que tem a nos dizer?

1. Deus ama os homens
    e tem um projeto de vida plena para lhes oferecer, através de Jesus Cristo.

2. Maria mostra como é possível fazer Jesus nascer no mundo:
    Através de um Sim incondicional aos projetos de Deus.
* Ele espera também o nosso Sim para continuar vindo ao mundo
   e oferecer aos irmãos a Salvação e a Vida de Deus.

3. Maria torna-se instrumento de Deus
    Uma jovem "mulher" de uma desconhecida aldeia, mas disponível
    em acolher e testemunhar com amor as propostas de Deus.

4. Qual a nossa resposta aos apelos de Deus?
    Maria respondeu com um "sim" total e incondicional...
    A exemplo dela, também devemos dar o nosso "Sim" generoso,
    numa atitude de entrega total a Deus

5. Como é possível essa entrega total a Deus?
    Através de uma vida de diálogo, de comunhão, de intimidade com Deus.
    Maria de Nazaré foi uma pessoa de oração e de fé,
    que fez a experiência do encontro com Deus e
    aprendeu a confiar totalmente n’Ele.
    O caminho é o mesmo ainda hoje... para todos nós...

A exemplo de Maria, digamos um SIM generoso e total ao Senhor.
E o nosso coração e a nossa família serão uma MORADA para o Salvador.

Só assim o "Senhor estará também conosco..."
e a nossa alegria nesse Natal será completa...


                                           Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 21.12.2014

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 3.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – ROXO ou RÓSEO – 14.12.2014

 COLETA PARA A SUSTENTAÇÃO DA EVANGELIZAÇÃO DA IGREJA

MISSA pr. “Gaudete”: Cr, Pf do Advento I.

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 3.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – ROXO ou RÓSEO – 14.12.2014


 COLETA PARA A SUSTENTAÇÃO DA EVANGELIZAÇÃO DA IGREJA
MISSA pr. “Gaudete”: Cr, Pf do Advento I.

Advento 1403: "Alegrai-vos"

O Natal se aproxima e a Liturgia é um convite à alegria
porque o Senhor já está no meio de nós.
É o "DOMINGO DA ALEGRIA" (Gaudete)

A 1ª Leitura é uma declaração de ALEGRIA,
pela "boa notícia" de salvação, prometida por Deus. (Is 61,1-2ª.10-11)

- Os israelitas, que voltaram do exílio sonhando uma vida nova na pátria,
  mas ficaram desiludidos com as condições desfavoráveis que encontraram.
  O povo esperava dias melhores. (frieza... hostilidade dos habitantes)
- O Profeta é mensageiro de esperança para os que sofrem e
  de libertação para os que estão oprimidos.
- O Povo reage agradecido numa atitude de louvor e alegria.
   Esse trecho bíblico é chamado o "Magnificat" do Antigo Testamento,
   porque expressão de um povo, que acredita na renovação,
   pela presença libertadora de Deus.

Na 2ª Leitura, Paulo exorta à ALEGRIA:
"Sede sempre alegres". (1Ts 5,16-24)

O texto ensina onde nasce a verdadeira alegria:
   - Da oração: "rezai sem cessar, dai graças";
   - Da abertura do coração aos apelos do Espírito: "Não apagueis o Espírito..."
   - Uma vida moral irrepreensível.

* O que é a alegria para você? Réveillon num restaurante cinco estrelas?
A alegria cristã não é uma atitude passageira de festas humanas,
mas um estado permanente, de quem confia que a vida cristã
é uma caminhada ao encontro do Senhor que vem.
A Alegria é um dos sinais da presença de Deus no coração de uma pessoa.

No Evangelho João Batista dá o grande motivo da ALEGRIA:
"Já está no meio de vós aquele que ainda não conheceis..." (Jo 1,6-8.19-28)

O texto apresenta inicialmente João Batista, "enviado por Deus"
com uma MISSÃO concreta: "Dar testemunho da Luz".

- Essa "Luz" está no mundo, mas o mundo não a conhece.
É preciso querer descobri-la, dilatando nosso coração em alegria.
A vinda de Jesus ao mundo, que celebramos,
nos lembra a presença discreta de Deus em nossa história.

Na segunda parte, temos o "TESTEMUNHO de João" sobre sua pessoa:
Afirma não ser o Messias, nem Elias, nem o "Profeta"...
É apenas a "VOZ" que clama no deserto,
convidando os homens a prepararem o caminho do Senhor...
É a "voz" que aponta para a única luz que vale a pena seguir: a de Jesus Cristo.

Essa "Voz" nos convida a olhar para NÓS
e ver o que nos afasta do reto caminho do Senhor.
- Quais as trevas que devemos abandonar, para deixar essa "Luz" brilhar?
- Quais os obstáculos que nos impedem de andar nos caminhos retos de Deus?

Essa "Voz" nos convida a olhar para JESUS,
pois só Ele é a "Luz" que ilumina o caminho...
Deus iniciou a Criação, criando a LUZ e dissipou as trevas.
Dela surgiu tudo o que existe. Ela é a vida dos homens.  

* Jesus é a Luz, que ilumina as nossas ações?
- Quando celebro o nascimento de Jesus, celebro um fato do passado,
   ou celebro o encontro atual com alguém que é a "Luz"
   que ilumina a minha vida e a enche de paz e de alegria?

A Missão de João Batista é hoje a nossa missão:
abrir caminhos para a chegada do Messias,
que é a luz das nações.
Ser uma "voz" que clama no deserto,
anunciando o Cristo presente no meio de nós...
- A "Voz" não tem rosto, é anônima. Ela passa despercebida,
  transmite a mensagem e depois desaparece...
- Que espécie de "Voz" somos nós?
- Quais os desertos, nos quais devemos clamar?
   Na família... na escola... no trabalho... na sociedade ?

DUAS ATITUDES OPOSTAS AO CRISTO QUE VEM:

A atitude humilde de João:
Ele não usa a missão para a sua promoção pessoal;
ele é apenas uma "voz" anônima e discreta
que recorda, na sombra, realidades importantes.

* Em nossas atividades, somos discretos e simples,
de modo que as pessoas não vejam a nós,
mas a mensagem que apresentamos? 

A atitude orgulhosa dos fariseus:
Fechados em sua auto-suficiência, não reconheceram a "Luz".
Se fecharmos o coração à novidade e aos desafios que Deus nos faz,
também nós não o reconheceremos.
E ele continuará procurando lugar onde possa nascer...

A alegria que os anjos anunciaram em Belém aos homens de boa vontade
é possível também para nós...
desde que nos deixemos iluminar por essa Luz.

Assim a nossa alegria será um testemunho muito forte
de que Cristo já está no meio de nós.


                                Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 14.12.2014

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 2.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – 01.12.2014 – ROXO

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 2.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – 01.12.2014 – ROXO
FONTE: http://www.buscandonovasaguas.com/
MISSA pr.: (sem Gl), Cr, Pf do Advento I
Leituras: Is 40, 1-5, 9-11 // Sl 84(85), 9ab – 10. 11 – 12. 13 – 14 (R/. 8) // 2Pd 3, 8-14  Mc 1, 1-8 (João Batista)
Neste domingo, avisem-se aos fiéis de que no Domingo dia 14, 3.º do Advento, por determinação da 36.º assembleia Geral da CNBB, haverá em todas as Igrejas (também capelas e oratórios) coleta da Campanha para a Evangelização.
Advento 1402: Preparai o Caminho

Nesse segundo domingo do Advento, a VOZ profética de ISAÍAS e JOÃO BATISTA ressoa num apelo de conversão para a vinda do Senhor.

As Leituras convidam a preparar o Caminho.

Na 1ª Leitura, ISAÍAS "consola" os exilados na Babilônia: anuncia o perdão de Deus e um NOVO CAMINHO de vida e salvação, com o regresso do povo à pátria. (Is 40,1-5.9-11)

Será um novo Êxodo, uma nova caminhada espiritual, durante a qual eles poderão fazer uma nova experiência do amor e da bondade de Deus e redescobrir os caminhos da Comunhão e da Aliança Um MENSAGEIRO será enviado à frente para levar a boa notícia para Jerusalém e todas as cidades de Judá...

Na 2ª Leitura aponta para a Parusia, a segunda vinda de Jesus, e como esperar e preparar esse momento: "vigilantes": vivendo no dia a dia de acordo com os ensinamentos de Jesus,
empenhando-se na transformação do mundo e na construção do Reino. (2Pd 3,8-14)

Essa vinda dá uma perspectiva diferente à nossa vida:  Temos um futuro a conquistar já nesta terra.

No Evangelho, JOÃO BATISTA aponta o CAMINHO para acolher o Messias Libertador.  (Mc 1,1-8)

O Texto introduz o Evangelho de Marcos, que leremos nesse ano (B): A "Boa Notícia" começa com um grande chamado à conversão. Deus já voltou seu coração para nós; resta-nos "voltar" o nosso para ele. Tudo "começou" quando João se apresentou no "deserto" de Judá para pregar.

1. Sua Missão: ser o "MENSAGEIRO" que prepara o caminho para o Messias. Denuncia o pecado, anuncia o perdão e dispõe o homem a converter-se... É o último dos profetas do Antigo Testamento. Não só anunciou o Messias… mas o apontou já presente no meio do povo: "No meio de vós está… Eis o Cordeiro de Deus..." Dele falou Jesus: "É mais que um profeta… o maior dos nascidos de mulher..."

2. Sua Mensagem: "Preparai o caminho do Senhor e endireitai suas estradas." Proclama um Batismo de CONVERSÃO para o perdão dos pecados. João aponta um Caminho de purificação e de conversão...    * O Sacramento da Penitência é um gesto que manifesta a vontade de conversão e a esperança dos tempos novos. É um encontro privilegiado com o Deus que salva e perdoa.
        - Quais são os vales a serem preenchidos? (vazios, omissões...)
        - Os montes a serem abaixados? (orgulho, vaidade, ambição...)
        - Os caminhos a serem endireitados? (egoísmo, ganância, ódio...)
3. A Reação dos ouvintes: "Todos saíam ao seu encontro e eram batizados no rio Jordão, confessando seu pecados".

4. Seu estilo de vida: Era uma pessoa sóbria, desprendida, austera e simples...

- Aparece no DESERTO: Lugar dos grandes encontros com Deus… Foi no Deserto que o Povo de Deus realizou uma longa caminhada  de purificação e de conversão...
- Deus é amigo do silêncio e se revela no silêncio...
  O barulho das festas não é ambiente propício para anunciar,  nem para ouvir um convite de Penitência.

   * Nesse advento, estamos dispostos a fazer momentos de deserto?
    Oração… Novena do Natal em família... Gestos de solidariedade...

- Vive na SOBRIEDADE, manifestada no comer e no vestir…
  "Vestia uma pele de camelo e comia gafanhotos e mel silvestre..."
    * É com esse espírito que nos preparamos para o Natal desse ano?

O "estilo de vida" de João fala tão forte como as suas palavras. É o testemunho vivo de um homem, que está consciente das prioridades e não dá importância aos aspectos secundários da vida, como sejam a roupa "de marca" ou o comer e beber...  Em nossa vida, quais são os valores, que escolhemos?

 * João Batista nos convida a preparar o Caminho do Senhor, assumindo atitudes novas e um estilo de vida simples e profética. Estamos dispostos a nos preparar para o Natal, nesse espírito de João?

5. Seu testemunho sobre Jesus:
   "Eu vos batizo com água, Ele vos batizará com o Espírito Santo".  Ele fala de dois tipos de Batismo:
- Batizar com água consistia em purificar as pessoas convertidas de seus pecados.
- Batizar com o Espírito, a ser realizado depois por Jesus, consistia em comunicar às pessoas uma vida nova,  transformando-as em novas criaturas.

JOÃO BATISTA foi um MENSAGEIRO DE DEUS que preparou os homens do seu tempo, para a vinda do Senhor… com a palavra e com o testemunho de vida...

Deus não poderia se servir também de nós, de você, para preparar os homens de HOJE,
para a vinda do Cristo, no NATAL DESSE ANO e ser uma voz de esperança, que aponta um Caminho Novo para os homens sofridos de hoje, que vivem nesse deserto da vida, escravos de tantas opressões?

                                    Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa -07.12.2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 2.º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – 01.12.2014 – ROXO FONTE:

MISSA pr.: (sem Gl), Cr, Pf do Advento I
Leituras: Is 40, 1-5, 9-11 // Sl 84(85), 9ab – 10. 11 – 12. 13 – 14 (R/. 8) // 2Pd 3, 8-14  Mc 1, 1-8 (João Batista)

Neste domingo, avisem-se aos fiéis de que no Domingo dia 14, 3.º do Advento, por determinação da 36.º assembleia Geral da CNBB, haverá em todas as Igrejas (também capelas e oratórios) coleta da Campanha para a Evangelização.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 1º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – ROXO – 30.11.2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 1º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B  – ROXO – 30.11.2014
Missa pr: (sem Glória), Cr, Pf do Advento I
LEITURAS: Is 63, 16b-17.19b; 64,2b-7 // Sl 79(80), 2ac e 3b. 15-16.18-19 (R/.4) // 1Cor 1, 3-9 // Mc 13,33-37 (Vigilància)

Advento 1401: "O Senhor Vem!"

Iniciamos hoje novo Ano Litúrgico (Ano B).

O ADVENTO é tempo de ESPERA:
- na expectativa da 2ª vinda de Cristo,
   no fim dos tempos. (1ª e 2ª Semana);
- em preparação à 1ª vinda do Filho de Deus
   que comemoramos no NATAL (3ª e 4ª Semana).

As leituras hoje nos mostram como devemos viver esse tempo:
"Vigilantes" para acolher o Senhor que vem.

A 1ª Leitura é uma SÚPLICA ardente ao Deus da História,
pedindo um Salvador. (Is 63,16b-17.19b;64,2b-7)

É uma das preces mais bonitas da Bíblia.
Ao povo que voltou do exílio desanimado e indiferente à Aliança,
o Profeta tenta acordar a esperança num futuro de vida e salvação.

Deus é invocado como "Pai" e "Redentor"
(Pai: fonte da vida familiar; Redentor: responsável pelo resgate).
É a primeira vez que se chama Deus de Pai (2 x).
No evangelho, Jesus usará mais tarde 184 vezes.

Termina com a imagem do OLEIRO: Deus é o "oleiro" e
o Povo é o "barro", que o artista modela com amor...
- Somos barro, frágeis, mas somos também obra de suas mãos...
  somos a expressão do amor de Deus
- Faz lembrar a Criação do Homem do barro da terra.
  A mudança do coração do seu povo é uma nova Criação,
  da qual nascerá uma nova humanidade.

O Salmo compara o povoa uma vinha devastada, que necessita
da força restauradora do Senhor para viver e louvar o seu nome. (Sl 80)

A 2a leitura é um APELO a esperar o Senhor que vem,
dando testemunho com os dons recebidos. (1Cor 1,3-9)

É a primeira vez que Paulo usa a Palavra "Carismas".
São os dons de Deus a determinadas pessoas para o bem da comunidade.

O Evangelho é uma EXORTAÇÃO à vigilância constante
para preparar a vinda do Senhor. (Mc 13,33-37)

O texto é o final do "Discurso escatológico".
A Parábola do Porteiro conta a história do homem que partiu em viagem,
distribuiu tarefas aos seus servos e deu ao porteiro uma ordem que vigiassem...

- O "Dono da casa" é Jesus, que ao voltar para o Pai,
confiou aos discípulos a tarefa de construir o "Reino", iniciado por ele.

- Quem é o "porteiro"? São as lideranças da Comunidade,
a quem foi confiada a missão da vigilância e da animação da Comunidade.
O que a Parábola tem a nos dizer?

1. A Vinda do Senhor é motivo de ESPERANÇA.
A nossa caminhada humana não é um avançar sem sentido ao encontro do nada, mas uma caminhada feita na alegria ao encontro do "Senhor que vem".
E o Advento nos recorda que no final da nossa caminhada,
o Senhor nos oferecerá a vida definitiva, a felicidade sem fim.

2. Advento é tempo da ESPERA vigilante do Senhor.
O verdadeiro discípulo deve estar sempre "vigilante".
- VIGIAR significa não esquecer que toda a vida cristã é uma caminhada
   rumo ao encontro final com Cristo Salvador e Juiz.
- VIGIAR é a atitude de quem se sente responsável pela "casa" de Deus,
   proteger a Comunidade de invasões estranhas.
- VIGIAR significa viver sempre empenhado e comprometido
   na construção de um mundo de vida, de amor e de paz.
- VIGIAR Significa cumprir os compromissos assumidos no dia do batismo
   e ser um sinal vivo do amor e da bondade de Deus no mundo.
- VIGIAR significa cumprir a Missão recebida:
   dar testemunho de Jesus e do seu evangelho.
- VIGIAR significa não viver como se a vida se reduzisse à duração terrena,
   mas viver sempre na expectativa da revelação plena do Senhorio de Jesus.

Somos convidados a não "dormir",
a estar acordados e "vigilantes", sempre prontos
para lhe entregar a qualquer momento a sua "casa" bem cuidada?

É o que pretende esse tempo litúrgico, quando nos convida a seguir
a marcha do Povo de Deus, que se preparava para a primeira vinda do Senhor:
uma marcha lenta, obscura e dolorosa, para ali apreendermos
qual deve ser a nossa ESPERANÇA nessa caminhada para Cristo.

Em meio a tantos convites comerciais,
permaneçamos atentos e vigilantes no Senhor.

- "Nesse Natal, Cristo pede um lugar em nossa casa".
 * Será que ele pode contar com um lugar em nosso coração?
   Estamos dispostos a remover tudo o que rouba espaço para Ele,
   e impede nosso caminho para Deus?

- Já reservamos tempo para a NOVENA do Natal em família?
* A novena é uma forma de concretizar a esperança e
   de reunir-se na mesma fé, permitindo que a ternura de Deus
   abra caminhos para a realização e a paz.

Nesse Natal, serão realmente felizes... as pessoas,
em quem Cristo encontrou um lugar para nascer!   
"ELE É A NOSSA PAZ"


                                Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 30.11.2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 1º DOMINGO DO ADVENTO – ANO B – ROXO – 30.11.2014

Missa pr: (sem Glória), Cr, Pf do Advento I
LEITURAS: Is 63, 16b-17.19b; 64,2b-7 // Sl 79(80), 2ac e 3b. 15-16.18-19 (R/.4) // 1Cor 1, 3-9 // Mc 13,33-37 (Vigilància)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

ROTEIRO HOMILÊTICO DO 34.º DOMINGO TEMPO COMUM – SOLENIDADE: NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO – ANO A – BRANCO – 23.11.2014

ABERTURA DA CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO
Na Solenidade de Cristo Rei, em todas as Paróquias e outras Igrejas e Oratórios, diante do Santíssimo Sacramento exposto, convém renovar o Ato de Consagração do gênero humano a Jesus Cristo Rei, previsto para este dia. (cf. Enchir. Indulg. N.º 27)

 Comum 1434: Vinde benditos de meu Pai

Com a solenidade de Cristo, Rei do Universo,
encerramos hoje o Ano Litúrgico,
no qual celebramos os principais mistérios de nossa fé..

As LEITURAS nos falam desse REI e do seu Reino.
O Reino de Deus é uma realidade que Jesus semeou,
que os discípulos são chamados a edificar na história e
que terá o seu tempo definitivo no mundo que há de vir.

Apresentam TRÊS ASPECTOS da Realeza de Cristo:

Na 1ª Leitura, Deus se revela como um Rei PASTOR,
totalmente dedicado ao bem de suas ovelhas. (Ez 34, 11-12.15-17)

O profeta Ezequiel, depois de denunciar os "maus pastores"
que exploraram e abusaram do Povo e
o conduziram por caminhos de morte e de desgraça, 
até à catástrofe final de Jerusalém e ao Exílio,
consola o povo com uma mensagem de esperança:
Deus será o Bom Pastor, que libertará e reconduzirá
as ovelhas dispersas para a terra prometida.
Essa profecia se cumpre em Jesus, o Bom Pastor...

A 2ª Leitura apresenta um Rei SOBERANO
vencedor da morte e do pecado, estabelecendo uma realeza universal.
Paulo explica o Senhorio universal, a Sabedoria e a Realeza de Cristo Ressuscitado, que é a primícia de todos os que morreram. (1Cor 15,20-26.28)

O Evangelho mostra um Rei JUIZ. (Mt 25,31-46)

Costumamos crer que o julgamento final só acontecerá no fim dos tempos.
A Parábola apresenta o "Filho do Homem" sentado no seu trono,
separando as pessoas, como o Pastor separa as ovelhas dos cabritos.
Ele sabe discernir os justos e os injustos. Ele não julga, nem condena.
É a pessoa que se julga e se condena
pelas obras de Misericórdia que realizou ou não...
"Vinde benditos de meu Pai… Recebei o Reino que meu Pai vos preparou..."
"Afastai-vos de mim, malditos, ide para o fogo eterno..."

* Essa cena não é uma descrição fotográfica do juízo final.
É uma Catequese que nos revela que o amor aos irmãos
é uma condição essencial para fazer parte do Reino.
Cristo protege os necessitados e se identifica com eles.

Quem são as ovelhas e os cabritos?
Às vezes nós nos comportamos como ovelhas e às vezes como cabritos...
Que o Senhor misericordioso nos transforme a todos... em suas ovelhas.
Jesus não aceitou esse título nos momentos de glória:
- Na Sinagoga, onde falava com tanto brilho…
- No Jordão, onde a Trindade se revelou…
- No Tabor, quando apareceu com tanta glória...
- Nos milagres grandiosos...
  como na multiplicação dos pães…quando até queriam proclamá-lo Rei.
  Poderiam confundir com o sentido político desse nome…

Jesus aceitou:

- diante de Pilatos: "Sim sou REI… e para isso vim ao mundo,
  mas o meu Reino não é daqui".
- na Cruz: num trono bem diferente… diante de um povo hostil que o desafia:
  "Se és Rei, salva-te a ti mesmo… e desce da cruz…"
   Ao Bom Ladrão, que reconhece a sua realeza e suplica pela salvação:
   "Lembra-te de mim quando estiveres em teu REINO",
    Jesus lhe garante: "Ainda hoje estarás comigo…"

O Prefácio da Missa também nos fala em que consiste esse Reino:
- Reino da Verdade e da Vida;
- Reino da Santidade e da Graça;
- Reino da Justiça, do Amor e da Paz
  = Esse é o verdadeiro Reino de Cristo…

Resumindo:

O Reino de Deus é uma semente que Jesus semeou,
que os discípulos são chamados a edificar na história através do amor
e que terá o seu tempo definitivo, no mundo que há de vir.

No entanto, esse Reino já está no meio de nós.
E Jesus nos convida a fazer parte dele e a trabalhar
para que esse Reino chegue ao coração de todos os homens…

É o que nos convida a rezar, no Pai Nosso: "Venha a nós o vosso Reino."

A Igreja recorda hoje o "Dia do Leigo".
É Vocação de todo cristão viver o Batismo no meio do mundo,
trabalhando para a transformação de uma sociedade mais justa e fraterna,
anúncio do Reino definitivo.

Prezados irmãos, estamos conscientes de sermos cidadãos desse Reino?
   - Ele reina de fato, em nosso coração?
   - Trabalhamos para que esse reino chegue ao coração de todos os homens?

Renovemos a nossa fé nessa verdade, cantando:
Somos cidadãos do Reino... do Reino de Jesus de Nazaré...



                                    Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 23.11.2014

ROTEIRO HOMILÊTICO DO 34.º DOMINGO TEMPO COMUM – SOLENIDADE: NOSSO SENHOR JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO – ANO A – BRANCO – 23.11.2014


ABERTURA DA CAMPANHA PARA A EVANGELIZAÇÃO

Na Solenidade de Cristo Rei, em todas as Paróquias e outras Igrejas e Oratórios, diante do Santíssimo Sacramento exposto, convém renovar o Ato de Consagração do gênero humano a Jesus Cristo Rei, previsto para este dia. (cf. Enchir. Indulg. N.º 27)

terça-feira, 11 de novembro de 2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 33.º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A – VERDE – 16.11.2014

Antífona de entrada:
Meus pensamentos são de paz e não de aflição, diz o Senhor. vós me invocareis, e hei de escutar-vos, e vos trarei de vosso cativeiro, de onde estiverdes (Jr 29,11s.14).


ROTEIRO HOMILÉTICO DO 33.º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A – VERDE – 16.11.2014

ROTEIRO HOMILÉTICO DO 33.º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A – VERDE – 16.11.2014
FONTE: http://www.buscandonovasaguas.com/

1433 Comum: Vigiai

Ao aproximar-se o final do Ano Litúrgico,
a Liturgia nos convida a estarmos prontos a prestar conta
a Deus da administração dos bens que ele nos concedeu.
É um apelo à VIGILÂNCIA para a vinda do Senhor,
que pode vir a qualquer momento em nossa vida.

A 1a Leitura apresenta a figura da "mulher virtuosa",
que sabe administrar a sua casa. (Pr 31,10-13.19-20.30-31)

Esse poema retrata a Mãe de família, que valoriza o trabalho,
o compromisso, a generosidade e o "temor de Deus".
Esses valores garantem ainda hoje para todos
uma vida feliz, tranqüila e próspera.

Na 2ª leitura, Paulo fala da 2ª vinda do Senhor e
como devemos esperar e preparar esse momento:
vigilantes e sóbrios na presença do Senhor. (1Ts 5,1-6)

No Evangelho, com a Parábola dos TALENTOS,
Jesus fala da sua 2ª vinda no fim dos tempos e a atitude com que
os discípulos devem esperar e preparar essa vinda. (Mt 25,14-30)

Um "senhor" partiu em viagem e deixou sua fortuna nas mãos dos servos.
A um, deixou cinco talentos, a outro dois e a outro um.
Quando voltou, chamou os servos e pediu-lhes conta da sua gestão.
Os dois primeiros tinham duplicado a soma recebida;
mas o terceiro escondeu cuidadosamente o talento recebido,
pois conhecia a exigência do "senhor" e tinha medo.
Os dois primeiros servos foram louvados pelo "senhor",
ao passo que o terceiro foi severamente criticado e condenado.

A Parábola refere-se à Vinda do Senhor Jesus, no final dos tempos...
- O "Senhor" representa Jesus, que antes de deixar este mundo,
   para viajar de volta ao Pai, deixou todos os seus "Bens" aos discípulos.
- Os Talentos são os "bens" que Jesus deixou na sua Igreja:
  o Evangelho, a sua mensagem de salvação;  o Batismo, a Eucaristia e
  todos os sacramentos, seu amor pelos pobres, sua atenção para os doentes...
- Os Servos, depositários desses bens, são os discípulos de Jesus,
  somos todos nós, que devemos produzir na medida de nossas possibilidades...

Depositários dos Bens de Cristo...

Nós somos agora no mundo as testemunhas de Cristo e
do projeto de salvação que o Pai tem para os homens.
- É com o nosso coração que Jesus continua a amar os publicanos e
  os pecadores do nosso tempo;
- é com as nossas palavras que Jesus continua a consolar
  os que estão tristes e desanimados;
- é com os nossos braços abertos que Jesus continua a acolher os imigrantes
  que fogem da miséria e da degradação;
- é com as nossas mãos que Jesus continua a quebrar as cadeias
  que prendem os escravizados e oprimidos;
- é com os nossos pés que Jesus continua a ir ao encontro de cada irmão
  que está sozinho e abandonado;
- é com a nossa solidariedade que Jesus continua a alimentar as multidões
  famintas do mundo e a dar medicamentos e cultura àqueles que nada têm…

Os que a Parábola nos diz hoje?

A Parábola mostra a grande responsabilidade de quem se omite,
deixando que os bens do Senhor permaneçam infrutíferos,
privando desta forma a comunidade e o mundo dos frutos a que têm direito.

- os dois "servos" da parábola, que fizeram frutificar os "bens",
  nos mostram como devemos proceder: 
  Eles lutaram, esforçaram-se, arriscaram, ganharam.
  Não se deixaram dominar pelo comodismo e tiveram a coragem de arriscar.
  Também nós não devemos nos deixar dominar pelo comodismo e
  ter a coragem de lutar contra a injustiça e propor os valores do Evangelho;
  Não aceitar que os grandes e poderosos decidam os destinos do mundo e
  ter a coragem de lutar contra os projetos desumanos que desfiguram esta terra;
  Não aceitar que a Igreja se identifique com a riqueza, com o poder e
  procurar  torná-la mais pobre, mais simples, mais humana, mais evangélica;
  Não aceitar que a liturgia deva ser sempre tão solene que assuste os mais 
  simples, nem tão etérea que não tenha nada a ver coma vida do dia a dia...

- e o servo, que enterrou os "bens", mostra como não devemos proceder:
  contentar-se com o que se tem e não querer mais, por medo ou covardia...
  Não fazer render os "bens" que Deus nos confiou... não dar frutos...

Como usamos os talentos que o Senhor nos confiou?

- Em muitas comunidades encontramos pessoas ricas de talentos...
  de estudo, de tempo e de recursos... mas não se doam aos outros...
  Dizem que não tem tempo... não tem jeito...
  e não fazem nada pela comunidade...

- No entanto, encontramos pessoas pobres, humildes, muito ocupadas...
  e com pouco ou nenhum estudo, 
  que se entregam com generosidade a serviço da Comunidade:
  nas pastorais, nos movimentos e no serviço de caridade...

* No fim de nossa vida, o que desejamos ouvir?
"Servo bom e fiel... vem participar da minha alegria..."
  ou "Servo mau e preguiçoso... Servo inútil... joguem-no fora...
        na escuridão... onde haverá choro e ranger de dente?"

  A Escolha será nossa!...

                          Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 16.11.2014

VIVÊNCIA LITÚRGICA PARTE II

FORMAÇÃO PARA MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS Paroquial da Palavra

Paróquia Santo Antônio de Pádua
DIOCESE DE Barra do Piraí - VOLTA REDONDA
SAUDADE - Barra Mansa / RJ 
ASSESSOR: PADRE CARLOS ALBERTO GOMES DA SILA JÚNIOR
10 DE NOVEMBRO DE 2014

Vivência Liturgica PARTE I

FORMAÇÃO PARA MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS Paroquial da Palavra
Paróquia Santo Antônio de Pádua
DIOCESE DE Barra do Piraí - VOLTA REDONDA
SAUDADE - Barra Mansa / RJ 
ASSESSOR: PADRE CARLOS ALBERTO GOMES DA SILA JÚNIOR

03 DE NOVEMBRO DE 2014
Estilo

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

ROTEIRO HOMILÉTICO (BASÍLICA DO LATRÃO) 32.º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A – 09.11.2014



C1432 Latrão: O Novo Templo

Celebramos hoje a "dedicação" (ou consagração)
da Basílica São João de Latrão. É a primeira catedral.
É a catedral do Papa, como bispo de Roma,
a Igreja-Mãe de todas as igrejas do mundo.  
Nela se realizaram cinco Concílios ecumênicos.
Esta festa nos convida a tomar consciência de que a Igreja de Deus,
simbolizada e representada pela Basílica de Latrão,
é hoje, no meio do mundo, a "morada de Deus",
o testemunho vivo da presença de Deus na caminhada dos homens.

As leituras bíblicas falam do Templo, no sentido material e espiritual.

Na 1ª Leitura, o Profeta Ezequiel vê sair do TEMPLO
uma Água, que gera Vida por onde passa. (Ez 47,1-2.8-9.12)

* O Povo exilado na Babilônia, longe de Jerusalém e do seu templo destruído,
é fortalecido pela esperança do surgimento de um novo templo.
A Água viva, que brota do templo, simboliza a Vida nova,
a salvação oferecida por Deus.

Na 2ª Leitura, São Paulo afirma que nós somos TEMPLO DE DEUS
e morada do Espírito Santo. (1Cor 3,9c-11.16-17)

Por isso, animados pelo Espírito Santo, devemos ser o Sinal vivo de Deus e
testemunhas da salvação diante dos homens do nosso tempo.

No Evangelho, Jesus se apresenta como o NOVO TEMPLO.
"Destruí este templo e em três dias eu o reerguerei...
Falava do templo do seu corpo". (Jo 2,13-22)

- O TEMPLO, na época de Jesus, havia se transformado
num grande mercado, num instrumento de exploração.
Usavam o nome de Deus para obter lucro e benefícios pessoais.

Jesus quer Purificar o Templo, libertando-o desses exploradores.
Assim entendemos o gesto violento de Cristo, de chicote na mão...

Mas Jesus quer mais: fala de um Novo Templo,
que irá substituir o velho templo de Jerusalém.

O Templo representava, para os judeus, a residência de Deus,
o lugar onde Deus se tornava presente no meio do seu Povo.
Agora Jesus é o novo Templo de Deus no mundo,
porque nele Deus se fez carne e veio montar a sua tenda no meio de nós.
Ao ressuscitar dos mortos o próprio Filho,
o Pai o colocou como pedra fundamental do novo santuário.
Sobre ela, pôs as pedras vivas, que são os discípulos de Cristo.
Todos juntos, formamos o corpo de Cristo,
o novo Templo onde Deus habita.
Cristo e os membros da comunidade cristã formam em conjunto
o novo santuário do qual se elevam os sacrifícios agradáveis a Deus.
Já não se trata das ofertas da carne e do sangue dos cordeiros,
mas das obras de amor em favor dos homens.

Como é que podemos encontrar Deus e chegar até ele?
O Evangelho de hoje responde: é olhando para Jesus.
Nas palavras e nos gestos de Jesus, Deus se revela aos homens,
manifesta o seu amor, oferece a vida plena,
faz-se companheiro de caminhada e aponta caminhos de salvação.

* Mas os cristãos também são pedras vivas desse novo Templo
onde Deus se manifesta ao mundo e vem ao encontro dos homens
para lhes oferecer a vida e a salvação. 
Os homens do nosso tempo devem ver no rosto dos cristãos
o rosto bondoso e terno de Deus;
devem experimentar, nos gestos de partilha, de solidariedade,
de serviço, de perdão dos cristãos, a vida nova de Deus;
devem encontrar, na preocupação dos cristãos com a justiça e com a paz,
o anúncio desse mundo novo que Deus quer oferecer a todos os homens.

Nesse novo templo, em que nós somos pedras vivas,
"os verdadeiros adoradores vão adorar o Pai em espírito e verdade." (Jo 4,23)

- A Igreja é de fato essa "casa de Deus",
  onde as pessoas podem encontrar essa proposta de libertação e de salvação,
  que Deus oferece a todos?
- E o nosso templo, o nosso Santuário, é um lugar de encontro com Deus,
  uma fonte de vida, para nós e para a nossa Comunidade?
 
- Se Cristo viesse hoje, que faria das igrejas (que se dizem cristãs),
  que se transformaram num verdadeiro comércio da fé?
  Deveria empunhar novamente o chicote?

As igrejas não podem ser casas de comércio...
Mesmo a igreja paroquial deve ser antes de tudo uma casa de oração,
que torna Deus presente no mundo pela beleza da caridade fraterna...

                                  Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 09.11.2014